25.9.14

Gastão Cruz | Escassez







"às vezes despedimo-nos tão cedo 
que nem lágrimas há que nos suportem o
peso da voz à solidão
ou
de lisboa no corpo o peso triste

às vezes é tão cedo que nos vemos
omitidos
enquanto expõe 
o peso insuportável do amor
a despedida

é tão cedo por vezes que lisboa
estende sobre os corpos o desgosto

com os dedos no crânio despedimo-nos" 



2 comments:

  1. Gosto muito muito destas fotografias, de pessoas presas no seu próprio mundo... da beleza dos pequenos detalhes e instantes captados numa imagem. Assim como o poema, que ajuda a interpretação.
    beijinho

    ReplyDelete

© OHH, HELLO Maira Gall.